há uns meses, tinha alertado para o carácter reincidente do meliante.
sim, ele fê-lo outra vez, agora em dose tripla.
a coisa é genial, acreditem.
mas, por uma vez elitista, se o dylan habitual não é para todos, este muito menos.
digamos que dylan só consegue fazer isto desta maneira porque alombou com muito em cinco décadas (!) de carreira.
para ouvi-lo e 'chegar lá' não serão necessárias tantas décadas de audiofilia, mas seria um bom começo. isso e um amor incondicional pela música. não é para todos, verdade.



amor num tempo de loucura

Jade Jackson - Good Time Gone [2017]

Lloyd Cole - Undressed [1990]

You look so good when you're depressed
Better even in your current state of undress
Tears caressing me like rain
And I'm not even thinking, I feel fine in your pain

The coolest thing I ever saw
You were sitting there smoking my cigarettes
You were naked on the bare stone floor
You looked at me to say don't guess
I was only watching, yes I love you more undressed

Lloyd Cole - No Blue Skies [1990]

[um dos moços com uns inícios de canções mais catitas; a única canção que conheço com a palavra 'pristine' - um artista culto]

Wanna leave me baby, be my guest
All I'm gonna do is cry
And then I'm gonna find me someone else
And tear the stars out of the sky



leonel moura despediu-se há dias das páginas de opinião do jornal de negócios, o que me é totalmente irrelevante, porque raramente o lia. é, porém, muito interessante este conceito de 'formatação da leitura', em contraponto - ou será reforço? - da 'formatação da opinião'.

Lloyd Cole - A Long Way Down [1991]